Crítica: Planeta dos macacos – A guerra

Já vou avisando que tem spoiler hehe. O filme é cheio de momentos de liderança, evolução, questionamento existencial, e vou dividir com vocês os momentos que foram tão importantes.

Um macaco que se chama Jumento?

Esse macaco  (Red/Rex) desde o começo do filme aparece no exército ora como um lacaio, fazendo tudo que os soldados mandam e tendo sua origem sufocada e sua existência ridicularizada toda vez que precisa atender quando um dos soldados o chama de Jumento; ora como um capanga frio capaz de torturar outros macacos para ser bem visto pelo Coronel e ter chance de sobreviver. Numa cena César ao perceber que Rex aceitava esse tipo de tratamento falou algo como ‘ você não é um jumento (burro) você é um macaco (um de nós)’.  E no climax do filme percebe se que no seu interior esse macaco faz um questionamento existencial e decidiu ser e viver como um macaco e se juntar a seus iguais.

images (1)

images

 

Liderança imposta x liderança conquistada

O personagem Coronel representa a liderança imposta, não apenas sobre os macacos (aprisionando e forçando eles a trabalharem sem água e comida por dias), mas sobre os próprios soldados, disseminando o medo.

Por outro lado, a liderança de César é conquistada a partir do momento que ele liberta os macacos que estavam como experiência no filme anterior. Foram os próprios macacos que escolheram ele como líder. Em um momento do filme César retoma sua liderança quando arrisca sua própria vida para poupar de outro macaco e dar comida e água para todos.

unnamed (2).gif

Evolução dos primatas

Notei dois momentos em que a evolução deles foi perceptivel. O primeiro momento foi quando o personagem Macaco Mal (que de mal não tem nada) surpreendeu César e seus companheiros por ser um macaco de zoológico portanto não é geneticamente modificado como os outros e mesmo assim desenvolveu seu vocabulário observando os humanos, desenvolveu afeto pelo filhote que foi tirado dele, e tem compreensão do que acontece a sua volta.

unnamed (3)

O segundo momento foi quando César tomado pelo ódio teve a oportunidade de matar o Coronel, mas não o fez, ao ver seu maior inimigo tomado pelo vírus não sentiu vencedor ou sortudo para disparar a arma que segurava. Seu senso de justiça foi maior que seu instinto.

ezgif-1-4ba7247c65.gif

 

Seleção natural: Vírus

O vírus que atacou a população humana não tinha efeito algum sobre qualquer animal, seria esse vírus uma resposta da natureza por ver o ser humano como uma espécie de corpo estranho no meio ambiente? Teria a nova doença a função de ser como os anticorpos e entender os humanos como um ‘vírus’?

Seleção natural: Os humanos estacionaram

Desde os primórdios os que sobreviviam e perpetuavam a espécie não eram os mais fortes ou os mais inteligentes, mas os que se adaptavam melhor e mais rápido. Na cena da avalanche todos os soldados brancos foram soterrados (todos mesmo) e os macacos também estavam no mesmo local, mas o que fizeram eles vencerem na seleção foi justamente o instinto, assim todos grudaram nas árvores que encontraram.

images (2)

Seleção natural: A doença alcançaria todos os humanos?

A resposta é: não. Cheguei a essa conclusão com o primeiro filme feito do Planeta dos Macacos (aquele que os atores usavam mascaras), não lembro mais como é o filme mas haviam sim humanos (inclusive rolou um romance entre um humano e uma macaca).

unnamed (1)

Gostaram? Comentem aqui.

aac44f881ab2b32638baa78049798876

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s